[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
Água Clara/MS . 19 de Novembro de 2017
Entrevistas

27/11/2015 as 09h14 / Por (Midiamax)

Fique alerta: MS registra 127 mil raios e uma morte em três dias

Imprimir

Entre segunda e quarta-feira (23 á 25) 127,144 mil raios caíram em Mato Grosso do Sul. Um rapaz de 25 anos morreu dentro de casa, vítima de uma descarga elétrica, em Japorã. O Estado aparece em 5º no ranking nacional das federações com maior incidência de raios, com um média anual de 4,24 milhões, e em 3ª, com 11,88 na densidade de raios por km²/ano, calculada pela divisão da área total do Estado e quantidade de raios que caem ao ano no território.

Os dados são da Elat (Grupo de Eletricidade Atmosférica), ligada ao Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), e mostram que MS tem duas cidades na listas dos dez municípios com mais mortes por raios nos últimos 15 anos. Campo Grande ocupa a terceira posição, com 11 vítimas, ficando atrás somente de Manaus (22) e São Paulo (26). Ribas do Rio Pardo aparece em nono, com 7 mortes. No Estado, 103 pessoas morreram vítimas de raios entre 2000 e 2004.

Diante dessa tempestade de descargas elétricas, que até podem ser bonita de se ver, mas com certeza assusta muita gente, o engenheiro eletricista Gener Ferreira, e o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros, Hudson Farias de Oliveira, deram dicas de como se prevenir na hora do aperto.

A primeira é: evite árvores. Independente de onde você estiver, fuja delas. As plantas atraem eletricidade e se esconder da chuva embaixo delas pode ser muito perigoso. “É muito comum os motoristas pararem embaixo de árvores durante tempestades de granito, para proteger o veículo, só que isso é muito perigoso, elas atraem os raios e os danos podem ser bem maiores”, destaca o tenente-coronel Hudson.

Em ocasiões como essa, o oficial recomenda que o condutor continue dentro do carro e dirija até um local adequado para parada. Porque afinal, o automóvel é o local mais seguro para se ficar durante uma tempestade, e a aí entra a segunda dica: se estiver dentro de um carro, continue nele. Segundo o engenheiro eletricista Gener Ferreira, as rodas do veiculo isolam a energia, e caso um raio caia sobre seu carro, a eletricidade ficará envolta nele, mas não vai atingir quem está dentro.

“O carro é seguro, desde que os passageiros não encostem em nenhum objeto metálico dele, porque a energia vai estar em toda carcaça”. Segundo o engenheiro, se você por acaso for contemplado como uma descarga elétrica enquanto estiver dirigindo, não tente sair do carro, continue seu trajeto até encontrar um poste ou uma árvore, e encoste nele. Isso fará com que a energia seja transferida de um corpo para outro.

Terceira dica, e aliás, muito importante nos dias de hoje: deixe o telefone de lado durante a tempestade, principalmente os aparelhos fixos. As linhas telefônicas são mais sensíveis a eletricidade, e em caso de um descarga na fiação, a eletricidade pode chegar até o usuário. “Em caso de uma descarga atmosférica em uma linha de rede elétrica, pode haver uma indução e isso fazer com que parte dessa descarga suba por uma parte da telefonia”, explica Gener.

Segundo ele, o choque pode ser intenso, e até levar a morte. “Se você tiver usando o aparelho no momento da descarga, e ela se propagar, isso pode chegar até a pessoa. E não precisa de muito para matar uma pessoa. 120 mil amperes é suficiente, e em um raio são milhares”, reforçou.

Guilherme Shild (Elat)Guilherme Shild (Elat)

O celular, assim como demais aparelhos eletrônicos, também devem ser evitados durante o mau tempo. “Não custa evitar o chuveiro elétrico, o secador de cabelo, ficar mexendo no celular, principalmente se estiver ligado ao carregador, alias, se sua casa não tem sistema de aterramento para isolar as descargas, tire os equipamentos mais sensíveis da tomada. Não custa nada prevenir né”, lembrou Gener.

Mas também não precisa ficar com medo de tudo dentro de casa durante a chuva. Segundo o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros sua residência vai te oferecer toda a segurança necessária, e as chances de algo acontecer com uma pessoa enquanto ela dentro de casa, são muito pequenas. “Você corre muito mais perigo estando em um área exposta, principalmente se tentar se esconder embaixo de árvores em correr para locais mais altos, como morros”, detalhou.

E falando em terrenos planos, vamos encerrar com a última dica: quando estiver em um pasto, por exemplo, e o tempo fechar do nada, procure um abrigo longe das plantas grandes e das cercas, principalmente as elétricas. Se precisar passar por alguma para chegar em casa, passe de pressa, com o mínimo de contato possível. Mas e os animais? Como faço para protegê-los e evitar uma tragédia, como a que aconteceu em Amambai, onde 15 vacas morreram após serem atingidas por uma descarga elétrica durante um temporal.

Segundo o oficial, é realmente mais difícil evitar que esse tipo de acidente ocorra com animais, mas é possível prevenir de algumas forma. Por exemplo, o proprietário de uma área rural pode instalar para-raios em alguns locais isolados da propriedade, onde o animal não tenha acesso. O equipamento vai atrair a eletricidade e evitar que cai perto dos bichos. Outro mecanismo que funciona muito bem, é bloqueador de raios, instalado nas cercas, que evita uma maior disseminação da eletricidade.

Para encerrar, a Elat forneceu uma lista de curiosidades sobre raios, e vale apena dar uma lida, para se desvincular de antigos temores, e entender um pouquinho mais sobre fenômeno climático.

Um raio não cai duas vezes no mesmo lugar? Não é verdade e uma prova disso é o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, que recebe ao menos seis descargas atmosféricas por ano. A origem desse mito está nos índios, que usam pedras atingidas por raios como amuletos, acreditando que estão protegidos contra os relâmpagos.

Espelho atrai raios? O mito vem dos tempos em que os espelhos tinham molduras metálicas bem grossas – elas, sim, um atrativo para as descargas.

Qual é a diferença entre trovão, raio e relâmpago? Relâmpago é toda descarga elétrica emitida por uma nuvem; raio é a descarga elétrica que toca o solo. Trovão é o som produzido pela descarga elétrica.

Dá para saber a que distância caiu o raio? É possível estimar a distância em quilômetros com um cálculo simples: basta contar o tempo (em segundos) entre o momento que se vê o raio e se escuta o trovão e dividir por três obtendo-se a distância aproximada em quilômetros.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
Documento com mais de 250 assinaturas é protocolado no MP contra quedas de energia em Água Clara
Banda de rock de Ribas disputa festival de música neste sábado em Campo Grande
Vereador Saylon beneficia atletas de Água Clara com materiais esportivos da FUNDESPORTE
Criança morre em MS após ter 47% do corpo queimado com leite fervendo
© Copyright 2012 . Portal Água Clara