[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
CLIQUE PARA FECHAR
Água Clara/MS . 15 de Novembro de 2018
notícias : Notícias

09/08/2018 as 08h58 / Por (Campo Grande News)

Casa de prostituição fechada em Campo Grande tinha cronômetro e controle em caderninho

Imprimir
- Material apreendido na casa. (Foto: Divulgação)
- Ocultar Galeria

Controle rigoroso, com cronômetro e dados dos quartos, consumos e clientes anotados em um caderninho, era assim que “Dani Gaúcha”, de 29 anos, administrava a casa de prostituição fechada na noite desta terça-feira (7) no bairro Itanhangá Park.

Foi através de denúncias feitas por moradores da região que equipes da Depos (Delegacia Especializada de Ordem Política e Social) chegaram a mansão localizada em um dos bairros mais nobres de Campo Grande. No local, foram apreendidos vasto material que comprova o controle da proprietária sobre as finanças da casa.


Em um caderno, Dani Gaúcha marcava em que quarto cada garota de programa estava e com quem, registrava o consumo dos clientes e ainda usava cronômetros para controlar o tempo dos programas.

“Ela cobrava o aluguel dos quartos, o valor era cobrado dos clientes”, explicou o delegado responsável pelo caso, Paulo Henrique Sá. Em anúncios na internet, a proprietária divulgava o valor dos programas, R$ 200 por hora.

“As meninas trabalhavam como freelance, atendiam em outras casas de prostituição, mas ali o estabelecimento era de luxo. Todas elas são maior de idade e confirmam a versão da proprietária”.

Dani Gaúcha vai responder pelo artigo 229 do código penal - manter, por conta própria ou de terceiro, estabelecimento em que ocorra exploração sexual.

Denúncia - Cansados do barulho e da intensa movimentação na casa, moradores do bairro levaram o caso ao MPE-MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul). Na denúncia, cópias de anúncios na internet sobre o estabelecimento mostram que a proprietária reforçava o ambiente luxuoso.

“Depois de muitos pedidos, providenciamos o local mais aconchegante de Campo Grande. A Mansão Dani Gaúcha oferece mil metros quadrados de puro luxo e conforto”, diz o anúncio. O texto ainda lista todos os benefícios aos clientes, como suítes, ar-condicionado, piscina com água aquecida, hidromassagem, área gourmet e sauna.

Ainda segundo a denúncia, o alvará do estabelecimento era para “atividades estéticas e outros serviços e cuidados com a beleza”, mas sempre funcionou como casa de prostituição, ou “casa de massagem”, como era chamada pelos clientes.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
Filho de 22 anos ameaça pai que negou dinheiro de mesada em MS: 'Vou voltar aqui com uma pistola'
Polícia apreende 820 kg de maconha em rodovia de MS
PF apreende 30kg de cocaína escondida em veículo em Três Lagoas
Consumo de etanol cresce 48,7% e de gasolina cai 8% em MS
© Copyright 2012 . Portal Água Clara