/** PIXELS **/ /** PIXELS **/ Polícia prende os 'Reis da Cocaína' em MS com droga avaliada em R$ 2,8 milhões - Portal Água Clara
[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
banner
CLIQUE PARA FECHAR
Água Clara/MS . 23 de Maio de 2019
notícias : Polícia

07/06/2018 as 08h06 / Por (Midiamax)

Polícia prende os 'Reis da Cocaína' em MS com droga avaliada em R$ 2,8 milhões

Imprimir
Foto: Henrique Kawaminami -
- Ocultar Galeria

Três homens de 28, 30 e 38 anos, foram presos enquanto traficavam cocaína e pasta base para Campo Grande na noite desta terça-feira (5), na BR-262, em Miranda. O trio, que se autonomeava “reis da cocaína”, usava método de tráfico incomum e foram flagrados durante a Operação King da Denar (Delegacia de Repressão ao Narcotráfico) e PRF (Polícia Rodoviária Federal) com droga avaliada em R$ 2,8 milhões.

Conforme o delegado da Denar, João Paulo Sartori, o grupo comprava o entorpecente em Corumbá e sempre locava veículos para poder transportar a droga. O chefe da quadrilha, de 30 anos, conduzia o carro enquanto os comparsas usavam uma espécie de colete para transportar a droga junto ao corpo.

 

Quando o trio avistava alguma barreira policial ou posto da PRF, a dupla que transportava a cocaína descia do automóvel e seguia pela mata até ser resgatada pelo líder do grupo posteriormente à vistoria policial. Desta forma, eles driblavam a polícia e, segundo o delegado, se gabavam por nunca serem pegos.


Colete usado pela dupla para transportar a droga junto
ao corpo | Foto: Henrique Kawaminami

O inspetor da PRF, Emerson Souza, contou que o dinheiro arrecadado com o tráfico era lavado em apostas de corridas de cavalo em fazendas de Terenos, cidade natal dos três traficantes e que fica localizada a 28 km da Capital.

O fato é que na noite desta terça-feira, a polícia recebeu informação de que os três traficantes passariam pela rodovia no km 600. Em ação conjunta, os investigadores da Denar junto aos agentes da PRF os prenderam. O líder do grupo conduzia um Ford KA locado e foi preso no posto policial. Já a dupla foi detida enquanto caminhava na mata.

Responsáveis por 90% do tráfico de pasta base em Campo Grande e também pela maior fatia do tráfico de cocaína na Capital. Eles foram encaminhados para a delegacia e responderão por tráfico de drogas, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Vida de luxuosa e ‘culpa do Uber’
Na casa do líder da quadrilha, no Nova Campo Grande, a polícia encontrou R$ 25 mil. Além disso, os investigadores informaram que os três ostentavam uma vida de luxo e eram frequentadores assíduos de baladas caras na cidade.

Questionados sobre o crime, os três confessaram a autoria. Um dos envolvidos, de 28 anos, contou que trabalhava como taxista, mas com a chegada do Uber em Campo Grande, o trabalho teria sido prejudicado e, por conta disso, precisava de dinheiro.

O líder, de 30 anos, confirmou o envolvimento, mas disse que ‘foi a primeira vez que estava fazendo isso’. Já o preso de 38 anos, disse que estava desempregado e precisava de dinheiro.

Apesar de confessarem o tráfico, a polícia afirmou que o trio traficava há muito tempo, mas eles negam, afirmando que essa ocasião seria a única vez que teriam cometido o crime.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
Mais de 200 mil trabalhadores tem direito ao abono salarial em MS
Maiores de 14 poderão praticar tiro com autorização dos dois pais
Novo decreto garante posse de fuzil para donos de imóvel rural
Homem é preso com R$ 9 mil em notas falsas no interior de MS
© Copyright 2012 . Portal Água Clara