[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
CLIQUE PARA FECHAR
Água Clara/MS . 18 de Outubro de 2018
notícias : Política

10/10/2018 as 07h52 / Por (Midiamax)

Deputados eleitos em MS declararam desde patrimônio de R$ 0,63 até aumento de 170% em 4 anos

Imprimir
Divulgação -
- Ocultar Galeria

Dos 24 deputados estaduais eleitos para próxima legislatura da Assembleia Legislativa, há aqueles que não declararam bens à Justiça Eleitoral, e outros que apresentaram uma milionária lista de patrimônio. Confira, por ordem de votação, a declaração de bens e comparação com outras eleições dos deputados eleitos para o legislativo sul-mato-grossense.

Estreante com moto 1200 – Eleito com a maior votação este ano, entre os 24 deputados estaduais da próxima legislatura, Capitão Contar (PSL) declarou apenas uma motocicleta (R 1.200 GS Adventure 2017), de R$ 80 mil. Ele é estreante na política.

Coronel perdeu patrimônio – Segundo mais votado, Coronel David, também do PSL, ficou mais pobre, já quem em 2014 declarou patrimônio de R$ 655 mil, formado por três veículos e um imóvel. E em 2018, declarou uma caminhonete Chevrolet High Country 2016/2016 R$140.000,00 e mais R$ 40 mil em dinheiro em espécie (moeda estrangeira), total de R$ 180 mil. Perdeu cerca de 72% do seu patrimônio.

Estreante com mais de R$ 10 milhões – Jamilson Name (PDT), também estreante na política, declarou patrimônio de R$ 10,7 milhões, sendo que o maior valor dos bens declarados à Justiça Eleitoral é participação na Empresa Agropecuária Figueira, pouco mais de R$ 1,9 milhão. O deputado eleito declarou ainda ter R$ 1,7 milhão em dinheiro em espécie moeda nacional.

Emedebista quase milionário – Renato Câmara (MDB) declarou este ano um patrimônio R$ 931.236,41, sendo que o bem de maior valor é uma casa em Ivinhema, avaliada em R$ 345 mil. O patrimônio do Emedebista praticamente dobrou em 4 anos, cerca de 101%, já que ele declarou R$ 462 mil em 2014.

Veterano com R$ 8,2 milhões – Reeleito, Onevan de Matos (PSDB), declarou R$ 8,2 milhões, sendo bem de maior valor uma sala comercial em Naviraí, ao custo de R$ 1,2 milhão. Nos últimos quatro anos o patrimônio cresceu quase 70%, já que ele declarou ter, em 2014, pouco mais de R$ 4,9 milhões.

O mais rico – Zé Teixeira (DEM) declarou patrimônio de R$ 15,9 milhões, um crescimento de 10%, já que há quatro anos, suas posses somavam R$ 14,4 milhões.

Reeleito perdeu 40% – Lídio Lopes (Patriota) é outro que ficou mais ‘pobre’, já que em 2014 declarou bens que somavam R$ 550 mil (três lotes e quatro veículos), e este ano sua declaração foi de R$ 329 mil, um decréscimo de quase 40%.

Reeleito ganhou 110% – Outro reeleito, Paulo Corrêa (PSDB) registrou crescimento no patrimônio. Na última eleição declarou bens que somavam pouco mais de R$ 2,8 milhões, em 2018 seu patrimônio ultrapassa R$ 5,8 milhões, crescimento de quase 110%.

Reeleito e R$ 100 mil mais rico – Felipe Orro, outro tucano reeleito, registrou leve aumento de patrimônio, de acordo com sua declaração à Justiça Eleitora. Em 2014 tinha R$ 1,6 milhão, em 2018 os bens chegaram a R$ 1,7 milhão, crescimento de cerca de 6%.

170% de crescimento em 4 anos – O deputado Barbosinha registrou um aumento no patrimônio de 170% em quatro. Em 2014, eleito pelo PSB, ele declarou pouco mais de R$ 3,1 milhões. Em 2018, já no DEM, sua declaração alcançou R$ 8,3 milhões.

Milionário, com 80% a mais – Marçal Filho, que em 2014 disputou uma cadeira na Câmara dos Deputados, declarou patrimônio de R$ 2 milhões. Este ano, no PSDB, eleito deputado estadual, declarou ter R$ 3,6 milhões, crescimento de 80%, sendo maior valor, R$ 2,2 milhões, um terreno em Dourados com uma casa em construção.

Professor com R$ 1,2 milhão – O deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB) registrou crescimento do patrimônio em torno de 15%, já quem em 2014 declarou bens de pouco mais de R$ 1 milhão, e neste ano R$ 1,2 milhão.

Mudou partido, manteve patrimônio – Eleito em 2014 pelo PTdoB (hoje Avante), e em 2018 pelo MDB, Marcio Fernandes praticamente não teve alteração em seu patrimônio declarado à Justiça, que ficou em torno de R$ 1,4 milhão.

Reeleito e 25% mais rico – Eduardo Rocha, reeleito pelo MDB, declarou este ano um patrimônio de R$ 2,1 milhões, um crescimento de cerca de 25% em relação a 2014, quando declarou bens que somavam R$ 1,7 milhão.

PM ainda não milionário – Cabo Almi (PT) também registrou crescimento, de cerca de 75%, em seu patrimônio. Em 2014 declarou bens que somavam R$ 517 mil, e em 2018 sua declaração à Justiça Eleitoral chegou a R$ 904 mil.

Petista milionário – Outro petista, também reeleito, Pedro Kemp, registrou crescimento em seu patrimônio de aproximadamente 17%, já que em 2014 declarou bens de pouco mais de R$ 1,4 milhão, montante que saltou para quase R$ 1,7 milhão em 2018.

Veterano de volta, com R$ 11,2 milhões – Voltando à Assembleia, Londres Machado, atualmente no PSD, disputou a eleição em 2014, ainda no PR, como candidato à vice-governador. À época, seus bens declarados somavam R$ 11,9 milhões, este ano, o deputado estadual eleito declarou R$ 11,2 milhões, um decréscimo de cerca de 5%.

Estreia com menos de um milhão – Estreante na Assembleia, Neno Razuk (PTB), declarou bens que somam pouco mais de R$ 857 mil. Herculano Borges (SD) também registrou crescimento, de 14%, os bens saltaram de R$ 862 mil para R$ 986 mil.

Ficou mais rico – Reeleito, Herculano Borges (SD), declarou bens no valor de R$ 986 mil. Nas últimas eleições, em 2014, o então candidato a deputado havia declarado bens no valor de R$ 862 mil.

Patrimônio triplicou em 8 anos – Ex-diretor do Detran, Gerson Claro foi eleito pelo PP, e declarou à Justiça um patrimônio de R$ 2,5 milhões. Na última eleição que disputou, em 2010, seus bens somavam pouco mais de R$ 802 mil.

Estreante de camionete – Antônio Vaz, do PRB, também duplicou o patrimônio em quatro anos (cerca de 120%). Em 2014, quando não foi eleito para Assembleia Legislativa, declarou apenas um veículo (Vectra Elite 2006, no valor de R$ 30 mil. Em 2018 seu único bem declarado foi um Automóvel Marca Mitsubishi Modelo L200 Triton Flex 2012/2013, no valor de R$ 67,1 mil.

‘Pobrinho’ de Corumbá – Vereador em Corumbá, Evander Vendramini (PP), declarou bens à Justiça que somam apenas R$ 0,63 (sessenta e três centavos). Em 2014, quando disputo o governo do Estado, declarou não ter bens à Justiça Eleitoral.

Amor sem fim e R$ 3 mil – Vereador na Capital, Lucas de Lima (SD) declarou bens que somam pouco mais de R$ 3 mil. Há dois anos, quando disputou eleição para Câmara de Campo Grande, não declarou bens.

Estreante sem carro – Por fim, João Henrique (PR), que em 2016 disputou e não venceu eleição para Câmara de Campo Grande, declarou à época bens que somavam R$ 55 mil (sendo R$ 54,5 mil um VW Jetta 2012), este ano ainda não apresentou declarações de bens à Justiça Eleitoral.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
Ponte sobre o Córrego César, antiga Fazenda Seiva, está interditada para reforma
Em MS, caminhoneiro bate em traseira de carreta perde controle e morre ao cair em barranco
STF arquiva inquérito da Lava Jato contra Zeca do PT
Celulose e carnes de bovinos e aves alavancam exportações de industrializados de MS
© Copyright 2012 . Portal Água Clara