[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
CLIQUE PARA FECHAR
Água Clara/MS . 11 de Dezembro de 2018
notícias : Política

10/10/2018 as 07h52 / Por (Midiamax)

Deputados eleitos em MS declararam desde patrimônio de R$ 0,63 até aumento de 170% em 4 anos

Imprimir
Divulgação -
- Ocultar Galeria

Dos 24 deputados estaduais eleitos para próxima legislatura da Assembleia Legislativa, há aqueles que não declararam bens à Justiça Eleitoral, e outros que apresentaram uma milionária lista de patrimônio. Confira, por ordem de votação, a declaração de bens e comparação com outras eleições dos deputados eleitos para o legislativo sul-mato-grossense.

Estreante com moto 1200 – Eleito com a maior votação este ano, entre os 24 deputados estaduais da próxima legislatura, Capitão Contar (PSL) declarou apenas uma motocicleta (R 1.200 GS Adventure 2017), de R$ 80 mil. Ele é estreante na política.

Coronel perdeu patrimônio – Segundo mais votado, Coronel David, também do PSL, ficou mais pobre, já quem em 2014 declarou patrimônio de R$ 655 mil, formado por três veículos e um imóvel. E em 2018, declarou uma caminhonete Chevrolet High Country 2016/2016 R$140.000,00 e mais R$ 40 mil em dinheiro em espécie (moeda estrangeira), total de R$ 180 mil. Perdeu cerca de 72% do seu patrimônio.

Estreante com mais de R$ 10 milhões – Jamilson Name (PDT), também estreante na política, declarou patrimônio de R$ 10,7 milhões, sendo que o maior valor dos bens declarados à Justiça Eleitoral é participação na Empresa Agropecuária Figueira, pouco mais de R$ 1,9 milhão. O deputado eleito declarou ainda ter R$ 1,7 milhão em dinheiro em espécie moeda nacional.

Emedebista quase milionário – Renato Câmara (MDB) declarou este ano um patrimônio R$ 931.236,41, sendo que o bem de maior valor é uma casa em Ivinhema, avaliada em R$ 345 mil. O patrimônio do Emedebista praticamente dobrou em 4 anos, cerca de 101%, já que ele declarou R$ 462 mil em 2014.

Veterano com R$ 8,2 milhões – Reeleito, Onevan de Matos (PSDB), declarou R$ 8,2 milhões, sendo bem de maior valor uma sala comercial em Naviraí, ao custo de R$ 1,2 milhão. Nos últimos quatro anos o patrimônio cresceu quase 70%, já que ele declarou ter, em 2014, pouco mais de R$ 4,9 milhões.

O mais rico – Zé Teixeira (DEM) declarou patrimônio de R$ 15,9 milhões, um crescimento de 10%, já que há quatro anos, suas posses somavam R$ 14,4 milhões.

Reeleito perdeu 40% – Lídio Lopes (Patriota) é outro que ficou mais ‘pobre’, já que em 2014 declarou bens que somavam R$ 550 mil (três lotes e quatro veículos), e este ano sua declaração foi de R$ 329 mil, um decréscimo de quase 40%.

Reeleito ganhou 110% – Outro reeleito, Paulo Corrêa (PSDB) registrou crescimento no patrimônio. Na última eleição declarou bens que somavam pouco mais de R$ 2,8 milhões, em 2018 seu patrimônio ultrapassa R$ 5,8 milhões, crescimento de quase 110%.

Reeleito e R$ 100 mil mais rico – Felipe Orro, outro tucano reeleito, registrou leve aumento de patrimônio, de acordo com sua declaração à Justiça Eleitora. Em 2014 tinha R$ 1,6 milhão, em 2018 os bens chegaram a R$ 1,7 milhão, crescimento de cerca de 6%.

170% de crescimento em 4 anos – O deputado Barbosinha registrou um aumento no patrimônio de 170% em quatro. Em 2014, eleito pelo PSB, ele declarou pouco mais de R$ 3,1 milhões. Em 2018, já no DEM, sua declaração alcançou R$ 8,3 milhões.

Milionário, com 80% a mais – Marçal Filho, que em 2014 disputou uma cadeira na Câmara dos Deputados, declarou patrimônio de R$ 2 milhões. Este ano, no PSDB, eleito deputado estadual, declarou ter R$ 3,6 milhões, crescimento de 80%, sendo maior valor, R$ 2,2 milhões, um terreno em Dourados com uma casa em construção.

Professor com R$ 1,2 milhão – O deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB) registrou crescimento do patrimônio em torno de 15%, já quem em 2014 declarou bens de pouco mais de R$ 1 milhão, e neste ano R$ 1,2 milhão.

Mudou partido, manteve patrimônio – Eleito em 2014 pelo PTdoB (hoje Avante), e em 2018 pelo MDB, Marcio Fernandes praticamente não teve alteração em seu patrimônio declarado à Justiça, que ficou em torno de R$ 1,4 milhão.

Reeleito e 25% mais rico – Eduardo Rocha, reeleito pelo MDB, declarou este ano um patrimônio de R$ 2,1 milhões, um crescimento de cerca de 25% em relação a 2014, quando declarou bens que somavam R$ 1,7 milhão.

PM ainda não milionário – Cabo Almi (PT) também registrou crescimento, de cerca de 75%, em seu patrimônio. Em 2014 declarou bens que somavam R$ 517 mil, e em 2018 sua declaração à Justiça Eleitoral chegou a R$ 904 mil.

Petista milionário – Outro petista, também reeleito, Pedro Kemp, registrou crescimento em seu patrimônio de aproximadamente 17%, já que em 2014 declarou bens de pouco mais de R$ 1,4 milhão, montante que saltou para quase R$ 1,7 milhão em 2018.

Veterano de volta, com R$ 11,2 milhões – Voltando à Assembleia, Londres Machado, atualmente no PSD, disputou a eleição em 2014, ainda no PR, como candidato à vice-governador. À época, seus bens declarados somavam R$ 11,9 milhões, este ano, o deputado estadual eleito declarou R$ 11,2 milhões, um decréscimo de cerca de 5%.

Estreia com menos de um milhão – Estreante na Assembleia, Neno Razuk (PTB), declarou bens que somam pouco mais de R$ 857 mil. Herculano Borges (SD) também registrou crescimento, de 14%, os bens saltaram de R$ 862 mil para R$ 986 mil.

Ficou mais rico – Reeleito, Herculano Borges (SD), declarou bens no valor de R$ 986 mil. Nas últimas eleições, em 2014, o então candidato a deputado havia declarado bens no valor de R$ 862 mil.

Patrimônio triplicou em 8 anos – Ex-diretor do Detran, Gerson Claro foi eleito pelo PP, e declarou à Justiça um patrimônio de R$ 2,5 milhões. Na última eleição que disputou, em 2010, seus bens somavam pouco mais de R$ 802 mil.

Estreante de camionete – Antônio Vaz, do PRB, também duplicou o patrimônio em quatro anos (cerca de 120%). Em 2014, quando não foi eleito para Assembleia Legislativa, declarou apenas um veículo (Vectra Elite 2006, no valor de R$ 30 mil. Em 2018 seu único bem declarado foi um Automóvel Marca Mitsubishi Modelo L200 Triton Flex 2012/2013, no valor de R$ 67,1 mil.

‘Pobrinho’ de Corumbá – Vereador em Corumbá, Evander Vendramini (PP), declarou bens à Justiça que somam apenas R$ 0,63 (sessenta e três centavos). Em 2014, quando disputo o governo do Estado, declarou não ter bens à Justiça Eleitoral.

Amor sem fim e R$ 3 mil – Vereador na Capital, Lucas de Lima (SD) declarou bens que somam pouco mais de R$ 3 mil. Há dois anos, quando disputou eleição para Câmara de Campo Grande, não declarou bens.

Estreante sem carro – Por fim, João Henrique (PR), que em 2016 disputou e não venceu eleição para Câmara de Campo Grande, declarou à época bens que somavam R$ 55 mil (sendo R$ 54,5 mil um VW Jetta 2012), este ano ainda não apresentou declarações de bens à Justiça Eleitoral.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
MPF reforça pedido de condenação para Lula por sítio
Com calor de 36,9ºC, Água Clara registra 3º maior temperatura do país nesta segunda
Homem perde perna e braço após ser atropelado por trem em município de MS
Avião cai minutos após decolar e piloto morre em MS
© Copyright 2012 . Portal Água Clara