/** PIXELS **/ /** PIXELS **/ Golpe da compra falsa no Mercado Livre faz vítimas; saiba evitar - Portal Água Clara
[PLANTÃO DE NOTÍCIAS]
banner
CLIQUE PARA FECHAR
Água Clara/MS . 16 de Julho de 2019
notícias : Serviços

09/07/2019 as 09h33 / Por (Tech Tudo)

Golpe da compra falsa no Mercado Livre faz vítimas; saiba evitar

Imprimir
- Criminosos usam Mercado Livre para aplicar golpes em quem anuncia produtos na plataforma ? Foto: Eduardo Machado/TechTudo
- Ocultar Galeria

Você costuma vender produtos pela internet? Se a resposta for sim, fique atento. Um golpe bastante elaborado tem feito novas vítimas, que recorrem a sites de venda para ganhar um dinheiro extra. Para isso, os criminosos induzem que a transação seja feita pelo Mercado Livre, uma das principais plataformas do segmento. Usando muita lábia e caprichando na fraude de e-mails, eles conseguem fazer com que os vendedores mandem os produtos por Correio sem que paguem um centavo por isso.

 

Foi o caso de Anna Castro, que tentou vender um iPhone 7 na plataforma. "Assim que coloquei o anúncio grátis no Mercado Livre e na OLX, recebi um e-mail e uma mensagem dentro do site pedindo algumas explicações e querendo tirar dúvidas sobre o aparelho”, conta. Ela diz que, pouco depois, o suposto comprador entrou em contato para dizer que havia realizado a transação.

Em seguida, outro e-mail: Desta vez confirmando a compra. No comprovante de pagamento constavam todos os dados do comprador. Anna também recebeu a etiqueta de envio e as instruções e procedimentos padrão para vendedores do Mercado Livre. O problema é que, apesar de terem o mesmo layout, linguagem e fonte originais do site, a comunicação era fraudulenta. "Se não se atentar no endereço de e-mail, você realmente cai no golpe”, alerta.

Por sorte, Anna notou a fraude antes de enviar o produto. Como já tinha ouvido falar sobre a prática, conferiu o e-mail e percebeu que era falso. O prejuízo teria sido de R$1.862,90. Apesar do susto, ela não chegou a contatar o Mercado Livre ou fazer um boletim de ocorrência.

Outra vítima, que não quis se identificar, contou que por muito pouco não saiu perdendo R$ 1.700. X. chegou a despachar uma câmera Canon t3i, mas, pouco depois do envio, decidiu olhar novamente o e-mail e percebeu que era falso. Rapidamente ela entrou em contato com os Correios e conseguiu reaver o produto.

X. conta que foi enganada pela semelhança entre o conteúdo do e-mail falso e do verdadeiro. “Eu estava vendendo na OLX. O cara entrou em contato comigo, pediu meu WhatsApp e pediu pra eu colocar meu produto no Mercado Livre porque lá seria mais seguro por conta do Mercado Pago”, diz.

A vítima, então, mandou o link do anúncio no site para o suposto comprador e recebeu um WhatsApp dizendo que a compra havia sido feita e que ela receberia um e-mail de confirmação em breve, o que aconteceu de fato. “O e-mail era muito parecido com o do Mercado Livre, a identidade visual era toda parecida. Eu nunca tinha vendido nada por lá, então eu não sabia como era a questão de liberação do dinheiro. Porque no e-mail estava dizendo que seria liberado assim que eu colocasse o produto no Correio“, conta.

X. conta também que o suposto comprador pediu para que a câmera fosse enviada por Sedex. Além deste gasto, ela ainda pagou pelo seguro para despachar o produto. “Depois fui para o trabalho e fiquei com um sentimento estranho. Quando olhei com mais calma, percebi que o endereço de e-mail tinha alguma coisa de diferente, não era oficial. Entrei na minha conta no Mercado Livre e o anúncio ainda estava ativo”, lembra. A vítima conseguiu acionar a agência dos Correios a tempo e teve os valores gastos com Sedex e seguro restituídos.

Mas nem todos tiveram a mesma sorte. Em um post no Facebook, uma vítima contou que colocou um iPhone 6s Plus à venda na OLX e recebeu seis mensagens de interesse. Uma das potenciais compradoras solicitou o WhatsApp para agilizar as negociações, alegando que tinha urgência em adquirir o aparelho. A golpista passou a insistir que a transação fosse feita pelo Mercado Livre e, após receber o link da venda do celular no site, disse que a plataforma estava solicitando o e-mail de acesso do vendedor. A vítima, então, passou a informação.

Pouco depois, recebeu as mesmas mensagens que foram enviadas para as outras vítimas. Sem checar pelo próprio login no site, e confiando apenas no e-mail, ela mandou o produto, que foi recebido pela quadrilha. Mas não parou por aí: quatro dias depois, chegou à caixa de entrada da vendedora um pedido de confirmação de dados bancários, solicitando uma cópia frente e verso do cartão de crédito. Por sorte, ela não enviou as informações, que seriam a segunda etapa do golpe.

Desconfiada, ela tentou entrar em contato com o e-mail fraudulento, sem resposta. Em seguida, começou a buscar outras formas de falar com o Mercado Livre, mas não conseguiu. Após descobrir o golpe, a vítima registrou um boletim de ocorrência e, segundo ela, foi alertada na delegacia de que, na maioria vezes, este tipo de crime fica impune.

Alguns dias depois, ela voltou a anunciar na OLX e, novamente, foi contatada por uma pessoa mostrando interesse e alegando urgência. Desta vez, um homem, que ofereceu 300 reais a mais, caso a transação fosse feita pelo Mercado Livre. Após negar a proposta, feita por WhatsApp, e justificar o motivo, ela foi bloqueada por ele no aplicativo.

O que diz o Mercado Livre

O TechTudo entrou em contato com o Mercado Livre, que respondeu com uma nota. No texto, a empresa orienta como os vendedores podem se precaver e também aconselha o que fazer caso seja contatado por algum golpista. Leia:

"Para garantir uma negociação segura, o Mercado Livre orienta seus clientes a sempre verificarem o status de suas vendas e/ou compras na área "Minha conta", disponível ao usuário logado no site. O cliente não deve considerar nenhuma mensagem nem enviar o produto antes de checar as informações de sua conta e a existência de crédito especificamente nesse canal.

O usuário vendedor é orientado também a checar a veracidade do e-mail recebido, para verificar se realmente tem como remetente o Mercado Livre ou o Mercado Pago, conforme indicado no site.

A empresa também reforça que, precisamente para garantir a segurança dos usuários, dados de contato, como endereço de e-mail e número de celular, não devem ser informados a outros usuários diretamente antes da concretização da venda por meio da plataforma. Todas essas recomendações estão disponíveis nos Termos & Condições de Uso do site, e o usuário também pode denunciar um e-mail falso neste link e na Central de Vendedores, site destinado à comunidade de vendedores do Mercado Livre".

Como se proteger

O golpe é bem orquestrado e, segundo as vítimas, o que mais engana é a semelhança entre o e-mail original do Mercado Livre e o fraudulento. Apesar de ser difícil detectar, o modus operandi dos criminosos é bastante semelhante. Por isso é importante atentar para alguns comportamentos suspeitos.

Carlos Affonso, professor da Faculdade de Direito da UERJ, Doutor e Mestre em Direito Civil, e Diretor do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio), chama a atenção para pequenos detalhes. Ele reforça que a fraude em si não é nova, o que muda para os já conhecidos crimes é o fato de os golpistas usarem diretamente o Mercado Livre para obter vantagens financeiras.

Para evitar o golpe, a melhor dica é ter atenção. “É indispensável checar que aquela mensagem vem efetivamente da plataforma. Observar o domínio do e-mail. Os criminosos podem trocar uma letra, colocar uma a mais ou a menos. São pequenos detalhes que, em uma análise rápida, a vítima pode não perceber”, atenta Affonso.

Outro ponto de extrema importância, segundo o especialista, é realizar toda a operação dentro da plataforma. Assim como destacou o Mercado Livre na nota enviada ao TechTudo, o vendedor não deve informar o e-mail ou o número do WhatsApp sob nenhuma hipótese. Além disso, Affonso alerta que não se deve clicar em links suspeitos, observando a URL com bastante atenção.

Por fim, o especialista conta que, em casos como este, a justiça tende a não responsabilizar a plataforma. Contudo, é importante registrar um boletim de ocorrência, fornecendo o máximo de informações possíveis para ajudar na identificação do criminoso. Em alguns casos, a polícia pode requerer o IP usado para aplicar o golpe. Por isso, caso esteja passando por alguma situação neste sentido, procure uma delegacia especializada em crimes de informática.

COMENTÁRIOS
VEJA TAMBÉM
Colombiano é preso com cocaína escondida sob peruca na Espanha
Justiça de MS determina que estado ofereça professor de apoio para aluna com Síndrome de Down
Ao ser flagrado furtando alimentos de fazenda, homem é amarrado em veículo e levado até a Delegacia
Consumidor já pode entrar em lista para bloquear ligação de telemarketing
© Copyright 2012 . Portal Água Clara